〜て、〜ている、〜てある

Forma 〜て + verbo auxiliar

Verbos auxiliares (補助動詞) usados com a forma 〜て (sinônimos entre parênteses, em geral variações de polidez):

Os três últimos são auxiliares de favor/direção.

Em um estudo do japonês escrito (Martin, p. 512), cerca de metade dos usos da forma 〜て foram com um auxiliar, e metade destes com いる ou sinônimo. A frequência relativa (contando sinônimos) foi:

Verbo 〜て+auxiliar .4819
いる.2934
くる.0544
いく.0309
くれる/くださる.0260
しまう.0222
みる.0204
おく.0113
もらう/いただく.0097
ある.0066
やる/あげる.0052
みせる.0013

Note a diferença entre いる e ある。

O verbo na forma 〜て pode ser seguido por outros verbos além desses, mas Martin não os considera “auxiliares” e sim uma composição de verbos comuns.

Partículas com forma 〜て

É possível usar joshi de tópico/foco (は、も) com a forma 〜て:

色々の点で違ってもいます。
Também estavam diferindo em vários pontos.

Também é possível marcar a forma 〜て com outros joshi, incluindo: さえ、 など、なんぞ、なんか、なんて、ぐらい、ばかり、だけは、まで、でも、だっ て。 Porém, não é possível ter uma oração subordinada entre o 〜て e o verbo auxiliar.

É possível focar/topicalizar também o verbo auxiliar:

やってみもしないで、[…]
Ele nem sequer tenta fazer e […]

Negação e forma 〜て

É possível negar a forma 〜て, o verbo auxiliar, ou ambos, com nuances distintas:

〜ている

Quando se segue à forma 〜て, o verbo いる pode em alguns casos ter seu sentido normal de verbo “estar, existir, ficar”:

  1. いなかへ行っていた → eu fui para o interior e fiquei lá.

Ou pode assumir o papel de verbo auxiliar, com três usos possíveis:

  1. Repetitivo: Faz (ou vai fazer) repetidamente ou habitualmente.

    図書室で本を読んでいる。 → ando lendo livros na biblioteca
    (outras leituras são possíveis, ver abaixo.)

    Note que a forma 終止形 também pode expressar repetitivo: 図書室で本を読む → [Sempre] leio livros na biblioteca. (Porém, a forma 終止形 no passado (読んだ) não pode expressar repetitivo, enquanto que 〜ていた pode.)

  2. Continuativo (apostila da USP: durativo): Está (ou estará) no processo de fazer; está em ação contínua, progressiva.

    寝ている → está deitado (na cama)
    寝ていなさい → fique deitado!

  3. Resultativo (apostila da USP: permansivo): Está (estará) num estado que resultou de uma ação feita.

    ドアがもう開けている → A porta já está aberta; a porta está agora num estado que resultou de ter sido aberta por alguém.

Alguns verbos são considerados (semanticamente) “pontuais” e nunca são continuativos: 開く、行く、来る、帰る、落ちる、壊れる、 出る、入る、なる、太る、やせる、晴れる、くもる、つかれる、 死ぬ… Seguidos de 〜ている, esses verbos sempre serão considerados ou resultativos ou repetitivos: 来ている → “eu [já] vim”, eu estou no estado resultante de ter vindo (resultativo); ou, possivelmente, “eu venho sempre” (repetitivo); mas nunca “eu estou vindo” (continuativo).

É preciso tomar cuidado com o fato que toda expressão com 〜ている possui pelo menos duas interpretações (resultativo e repetitivo), três para a maioria dos verbos (os não-pontuais, que podem ter o uso continuativo). E.g. 学校を通っている pode significar:

  1. Repetitivo: Ando passando pela escola; habitualmente passo pela escola.
  2. Continuativo: Estou passando pela escola [agora].
  3. Resultativo: Já passei pela escola; terminei de passar pela escola.

Restrições & variações

Normalmente a combinação 〜ている não é usada para os verbos いる、ある e sinônimos. Porém, いてて (de いていて) às vezes aparece coloquialmente: もう少しいててはどう? “que tal ficar mais um pouquinho?”. O dialeto de Kansai (Kinki) usa いている。

Muitos dialetos usam formas diferentes para continuativo e resultativo (e.g. em Kyūshū: ふっている vira ふりよる (continuativo) ou ふっとる (resultativo)).

〜ている pode ser contraído para 〜てる. 〜ておる pode ser contraído para 〜とる; distinguir de 取る。 Outras abreviações similares acontecem, e é preciso tomar cuidado ao tentar entender a fala (e.g. 〜ていれば → てれば; 〜ているのだ → て’るんだ → てんだ, &c.).

〜てある

Resultativo passivizante

O uso mais comum da forma 〜てある é um resultativo, mas que também transforma a estrutura da frase com uma espécie de passivização; da mesma forma que na passiva, o objeto de um verbo transitivo entra na posição de sujeito, porém continua semanticamente como receptor da ação. Vou chamar esse uso de resultativo passivizante. Compare as seguintes possibilidades:

  1. Intransitivo:

    ドアが開く “A porta abre.”

  2. Intransitivo, resultativo (〜ている):

    ドアが開いている “A porta abriu [e está aberta agora]”.

As formas intransitivas não colocam ênfase no agente. A porta abriu sozinha (agente=sujeito), ou talvez foi aberta por alguém ou pelo vento (agente=implícito), ou sempre esteve aberta (agente=nenhum)—este tipo de frase não foca nisso, mas sim no estado atual da porta (McClure 2000).

A forma 〜ている em 2 é um resultativo, não continuativo (porque 開く é um verbo pontual); a implicação da frase 2 é algo como “a porta já terminou de abrir e seu estado atual é estar aberta”.

  1. Transitivo:

    私がドアを開ける。 “Eu abro a porta.”

  2. Transitivo, resultativo (〜ている):

    私がドアを開けている。 “Eu abri [terminei de abrir] a porta [e ela está aberta agora]”.

O verbo transitivo 開ける transforma a porta em objeto, marcado com を. O agente marcado com が pode ser omitido, mas está sempre implícito, e não é a própria porta:ドアを開ける, sem sujeito, seria um sujeito oculto como “Abriram a porta” (ou “Abri a porta”, &c).

Novamente a forma 〜ている usada é a resultativa. A tradução literal da frase 4 é desajeitada; as implicações são que a) existe um agente, b) o agente terminou a ação, e c) o objeto agora está no estado resultante desta ação completada.

  1. Passiva:

    私にドアが開けられる。 “A porta foi aberta por mim.”

  2. Resultativo passivizante (〜てある):

    ドアが開けてある。 “A porta está aberta [e o foi por um agente não-mencionado]”

Compare 5 e 6. A forma passiva faz com que a porta se torne o sujeito do verbo transitivo, quando normalmente seria objeto; a marca を vira が。 O mesmo acontece com a forma 〜てある resultativa, de forma que ela pode ser descrita como passivizante. O verbo continua sendo o transitivo, mas o objeto direto toma a posição de sujeito com が (cf. 4 e 6). Passivas como a 5 com freqüência são usadas com conotação negativa ou de desagrado; já a passivizante (6) não tem nenhuma nuance negativa. A passiva permite explicitar o agente (com に), mas na passivizante ele tem que ficar implícito (McClure 2000).

Compare 2 e 6. Martin chama a forma 6 de “intransitivante” porque ela permite usar um verbo transitivo (como 開ける em 6) com a mesma estrutura que um intransitivo (como 開く em 2). Porém, 6 não é idêntico ao intransitivo: 6 implica um agente não-mencionado, enquanto que em 2 não há implicação; o próprio sujeito (a porta) pode ser o agente, ou pode não haver agente &c.

Outros usos da forma 〜てある

Nestes usos menos comuns, a estrutura da frase é mantida intacta, sem transformar o objeto do verbo transitivo em sujeito. (Isto significa que, para uma porta como receptor da ação, é possível tanto ドアが開けてある (resultativo passivizante) quanto ドアを開けてある (resultativo simples)).

  1. Antecipação, similar a 〜ておく:

    よく寝てあるから、大丈夫です。 “Dormi bem [em preparação], por isso está tudo sem problemas.”

  2. Experiência, similar a 〜たことがある:

    この山はのぼってあるからいいよ。 “Já subi esta montanha antes, então está tudo bem.”

  3. Resultativo (simples), similar a 〜ている:

    ここを人がふんである。 (=ふんでいる) “As pessoas já pisaram aqui [=este local já está pisado por pessoas]” (e.g. a neve).

Restrições

A forma 〜てある pode ser aplicada com seus diferentes usos às causativas, mas raramente é aplicada às passivas ou negativas. Ela é rara ou não-existente para muitos verbos “emotivos”, “estativos” ou que não expressam ação, incluindo o próprio ある、聞こえる、見える、あばれる、あまる、歩く… (ver p. 527).

A forma 〜てある é bem menos comum que 〜ている, e alguns pesquisadores acreditam que atualmente está desaparecendo em favor desta.

Diferença entre 〜ている e 〜てある

Muitas pessoas, ao falar da diferença entre 〜ている e 〜てある, na verdade estão pensando na diferença entre verbo transitivo (e.g. 開ける) e intransitivo (e.g. 開く). Compare as seguintes frases:

1. ドアが 開いている。
2. かれが ドアを 開けている。
2'. かれが ドアを 開けてある。 (raro)
3. ドアが 開けてある。

A diferença mais importante é que o verbo intransitivo 開く é neutro em relação ao agente, ao passo que o transitivo 開ける sempre implica um agente e um receptor, mesmo que um deles esteja omitido ou implícito. É a diferença entre “abriram a porta” vs. “a porta abriu”.

A forma 2' é rara mas possível, e quase igual à forma 2; ambas são resultativos, e têm agente = かれ. Ou seja, simplesmente trocar いる por ある não necessariamente altera o agente.

A forma 3 é o resultativo passivizante, que é o que normalmente se chama “forma -te aru”. O efeito dela é um efeito de passiva, permitindo usar o verbo transitivo com o receptor marcado por が。 Porém, ele continua sendo um verbo transitivo, e ainda está implicado um agente diferente do sujeito=receptor ドア (mas o agente fica implícito).

Resumindo, as formas resultativas mais comuns são: